Buscar
  • Herculano

SUCESSIVOS RECORDES: 250 MIL MORTES E MUITAS MENTIRAS

Atualizado: Fev 21



O governo de Jair Messias Bolsonaro, sem partido, caminha celeremente para neste início de semana estabelecer mais um novo recorde negativo: 250 mil mortos oficialmente em decorrência da Covid-19.


Em contrapartida, a vacina que não apenas nos livrará do mal, sofrimento e morte, anda escassa, atrasada e boicotada pelo próprio Capitão Cloroquina e seu general apalermado da ativa, especialista em logística no Exército, Eduardo Pazuello. Vergonha, mundial!


A vacina além da contenção de danos na área da Saúde dos brasileiros, ela é - até aqui - a melhor arma para a reanimação da economia interna, a recuperação dos milhões de empregos perdidos e à retomada da normalidade competitiva, corroída pela falta das reformas - tributária e administrativa - que amplia o endividamento do país, aumenta o dólar, gera inflação contra os mais pobres, somada à falta de privatizações mínimas para diminuir o estado mal empregador, deficiente e corrupto.


Mas, Bolsonaro, o mentiroso, o encrenqueiro, o animar de pitbulls milicianos e que os abandona à própria sorte, como foi o caso de Daniel Silveira, PSL RJ, em meio a tantos erros, prefere a polêmica baixa e sem nexo. Agora, diz - só para afrontar um supostos adversário (João Dória) e a China, que sua mãe teve trocada e de propósito o cartão da vacina que recebeu para se proteger da Covid-19: da Oxford pela Coronac.


Ora, não importa a marca de vacina que a mãe de Bolsonaro recebeu lá no interior paulista. O certo é que ela se protegeu - como a minha - de algo exageradamente mortal para a idade dela, proteção que seu filho nega a milhões de outros brasileiros tão vulneráveis e agradecidos como ela. Espantoso, é que ainda tenha gente que acredite neste tipo de mentiroso compulsivo. Freud explica. Wake up, Brazil!