Buscar
  • Herculano

SER VEREADOR DE VERDADE É UM PROBLEMA PARA A BANCADA DO AMÉM, KLEBER E O PODER DE PLANTÃO EM GASPAR

A luz da Constituição de 1988, três são prerrogativas básicas e inerentes a um vereador: legislar, fiscalizar e julgar. Em Gaspar, o ato de fiscalizar de um vereador é um sacrilégio quando se é da oposição. Pior, beira a um crime de traição, quando se é da situação. Para o poder de plantão, os vereadores governistas deveriam ser cegos aos erros, omissos e coniventes à falta iniciativa do poder Executivo. Simples assim!


Quem prova mais uma vez isso? O vereador Amauri Bornhausen, PDT, um servidor público municipal, cadeirante, sem parte das pernas, que na coligação que elegeu o prefeito Kleber Edson Wan Dall, MDB e Marcelo de Souza Brick, PSD, teoricamente está na Bancada do Amém, onde estão, também em teoria, onze (MDB, PSD, PP, PDT e PSDB) dos 13 vereadores.



Novato, Amauri resolveu ser um fiscal do governo de Kleber em favor dos seus eleitores, eleitoras e da cidade. Mas, esta decisão está lhe custando caro. E ele está passando por uns maus bocados diante da decisão que tomou. Por causa disso, e numa rasteira da própria Bancada do Amém, construída no gabinete do vereador Francisco Hostins Júnior, MDB, recentemente Amauri foi parar na UTI depois de um enfarte.


História antiga e amplamente contada aqui é conhecida na cidade. Tudo foi urdido para lhe dar uma lição, deixá-lo humilhado e devidamente constrangido. Entretanto, deu tudo errado aos poderosos de plantão que armaram contra ele. Amauri virou notícia - a partir daqui, pois os demais canais estavam "estranhamente mudos".


Melhor do que isso, saiu fortalecido diante dos que lhe armavam para lhe ver abatido, enfraquecido e isolado.


Agora, mais outra. Há duas sessões, Amauri resolveu tomar às dores de pais - que lhe procuraram - e alunos diante da falta de estacionamento e do perigo que é atravessar a BR-470 duplicada para entrar e sair da Escola Vitório Anacleto Cardoso, na Margem Esquerda.


Não é que o presidente da Câmara, Francisco Solano Anhaia, MDB, que não mora mais na Margem Esquerda, que não tem mais comércio lá, e que até acabou com o Ferroviário vendendo o patrimônio do Clube, ocupou a tribuna na Câmara na semana passada para insinuar que Amauri estaria se metendo em reduto eleitoral que não lhe pertence, e onde ele com ajuda do prefeito Kleber fez muito pela comunidade e a escola?


Para encurtar o artigo - e mostrar mais uma vez que não exagero, como insistem os poderosos de plantão e com isso alimentam à minha audiência -, disponibilizo à resposta de improviso de Amauri ao Anhaia na mesma sessão da Câmara. Confira você mesmo onde está metido Amauri e como estão ficando expostos os valentões da coligação que não sustentação a Kleber e Marcelo e não conseguem ferir a autonomia de Amauri no exercício das suas prerrogativas como vereador.


Como viram e escutaram acima, o poder de plantão tem seus escolhidos e Amauri, que não se ajoelha - e nem poderia fazer isso fisicamente - à Bancada do Amém, não pode nem sequer ser um vereador de verdade como reza a Constituição de 1988. Incrível! Acorda, Gaspar!