Buscar
  • Herculano

REFÉM OU PROTAGONISTA

A política não é para novatos, fracos, curiosos e santos. Os discursos de campanha sim, quase sempre orientados por marqueteiros, oportunistas e espertos. São palavras e frases feitas para ouvidos dos tolos.


O governador Carlos Moisés da Silva, PSL, o comandante Moisés - é um coronel bombeiro militar de Santa Catarina reformado - fez isso e não se cuidou. Está pagando um preço alto pelo despreparo, falta de articulação e agora, apego ao poder a qualquer custo como vem demonstrando como se a estrutura de estado fosse uma carniça exposta.


O colunista Cláudio Prisco Paraíso observa sob o título "E agora?", mais uma desse desconcerto atordoante que por enquanto deu em dois impeachments armados e uma CPI necessária na Assembleia. Carlos Moisés se esgrima deles oferecendo nacos do seu governo para assim permanecer no Centro Administrativo pelo menos até 2024.


"No final de dezembro de 2020, Moisés da Silva nomeou seu novo chefe da Casa Civil. Uma figura conhecida e umbilicalmente ligada, nos últimos anos, ao presidente da Assembleia, Júlio Garcia. Antes disso, o cidadão já havia prestado serviços para outras lideranças do PSD, com longo histórico de serviços prestados a cardeais da legenda".


Retomo. É preciso escrever mais? Carlos Moisés se tornou refém. Ele já foi protagonista com 71,09% dos votos válidos dos catarinenses há pouco mais de dois anos. Hoje... (20.01.21)