Buscar
  • Herculano

PRESSIONADO PELA REALIDADE, KLEBER CORRE PARA DEBELAR MOMENTANEAMENTE O DESGASTE



Deram entrada na Câmara de Vereadores de Gaspar, em regime de urgência, três projetos de lei. Eles vão modificar à disponibilidade e à aplicação do Orçamento. Esses PLs vão correr como bólidos nas comissões e plenário. Na sessão ordinária de hoje à noite, vota-se a extraordinária pedida pelo prefeito Kleber Edson Wan Dall, MDB. Ela será realizada quinta-feira, às seis horas da tarde.


Só esta velocidade, dá o tamanho da encrenca e mostra o quanto este blog estava coberto de razão naquilo que comentou sobre este assunto nos últimos dias, e a imprensa de Gaspar, bem como a regional, de um modo em geral, escondeu tudo isso do debate público.


Um dos projetos vai dar R$3.815.280,00 para cobrir o rombo e subsidiar o serviço de transporte coletivo urbano, comprometido no corte de centenas de horários e linhas. Isto foi feito de forma unilateral por quem está fazendo o serviço em regime de contrato de emergência, a Safira, de Blumenau.


Na última sessão da Câmara, como registrei aqui, o próprio líder do governo e mais longevo dos vereadores, José Hilário Melato, PP, já tinha sinalizado que o governo estudava algum tipo de socorro, pois segundo ele, no discurso, a Safira passava por dificuldades financeiras.


Para quem na última licitação - e que resultou deserta - queria ganhar em torno de R$20 milhões, recorrer em tão pouco tempo ao subsídio é uma lição com um preço muito salgado e que vai ser paga por toda a sociedade gasparense.


Agora, é preciso criar mecanismos de transparência no repasse desses subsídios - sem apenas salvar financeiramente a empresa operadora do sistema de transportes -, bem como vigiar na recuperação das linhas e horários para os trabalhadores, estudantes, desempregados e pobres, além de se usar a integração entre bairros via o terminal urbano.


O outro projeto de lei, tira dos projetos Avança Gaspar e destina R$3.137.100, 00 para a iluminação pública. Só para lembrar, em 2017 a Cosip, mesmo tendo um aumento de mais de 40%, isto sem falar que foi beneficiária em vários empréstimos em projetos de reurbanização, está capenga até hoje e é motivo de reiteradas críticas da comunidade.


Especialistas, todavia, alertam para a pegadinha: provavelmente estes recursos da iluminação não estarão em projetos para as ruas gasparenses, e sim para as praças e espaços de lazer que estão sendo criadas pelo atual governo. Acorda, Gaspar!