Buscar
  • Herculano

PP SERÁ O LÍDER DO GOVERNO DO MDB DE KLEBER NA CÂMARA

O mais longevo dos vereadores de Gaspar, José Hilário Melato, PP, vai ser o líder do governo de Kleber Wan Dall, MDB, na Câmara neste ano de 2021. Experiência de nove mandatos. E é aí que mora o perigo. Explico!


É o domínio no PP sobre o MDB como falsamente o PP e outros desinformados apregoam por aí? Bobagem! É um enquadramento honorífico ao Melato para dar a impressão de que PP está no comando do governo Kleber.


E por que?


Um governo com a tal "Bancada do Amém" ao prefeito de fato, Carlos Roberto Pereira, presidente do MDB e titular da poderosa secretaria de Fazenda e Gestão Administrativa, composta por onze dos 13 vereadores, precisa de um líder para defendê-lo, como fizeram na legislatura passada Francisco Hostins Júnior e Francisco Solano Anhaia - este hoje presidente da Casa -, ambos do MDB?


A resposta óbvia e real é: não!


O secretário não precisará mais se exilar na secretaria da Saúde como fez no mandato anterior quando perdeu à maioria por sua "çapiência" e esperteza do próprio Melato na Câmara.


Tanto que Kleber animado pelo prefeito de fato e ciente de que não terá problemas, já está desengavetando os projetos que tentou apresentar e recuou no primeiro mandato.


E o primeiro teste para sentir a temperatura já está na Câmara: o que autoriza o Executivo cortar vagas de efetivos, enquanto incha a máquina comissionados. Voltarei ainda ao tema.


Retomo. Em 2018 por exemplo - com a eleição do médico Silvio Cleffi, PSC e hoje no PP e não reeleito -, na presidência e a liderança da oposição com Roberto Procópio de Souza, PDT -também não reeleito, depois dele se bandear para o governo -, o prefeito Kleber chegou a ter por algum tempo uma minoria na Câmara.


Isto sem falar na CPI da drenagem da Rua Frei Solano, causada pelo próprio vereador Melato quando estava na presidência do Samae.


Então, naqueles e para aqueles tempos, a escolha de um líder de governo conciliador - Júnior Hostins -, ou - buldogue - Anhaia - era vital, estratégico e necessário.


Com a "Bancada do Amém", Melato nem precisará "rezar" nas sessões e ficar exposto. Ele poderá declinar do seu tempo reservado compulsoriamente pelo Regimento Interno da Casa. Aliás, a última palavra na tribuna nas sessões é do líder do governo, para desmanchar todas as verdades dos opositores.


O domínio do PP está consagrado nas quatro secretarias em que ele se aboletou no acordo que fez antes das eleições de novembro passado: uma para o vice-prefeito Luiz Carlos Spengler Filho na vaga que cedeu ao Marcelo de Souza Brick, PSD, e mais uma secretaria a quantos vereadores fossem eleitos. O PP elegeu três.


Por esse acordo, o PP ficou com quatro secretarias. Já expliquei isso várias vezes. E todas as vezes que explico, o poder de plantão se arrepia. Ele não quer dar transparência a estas questões "internas da divisão do poder" à cidade, cidadãos e cidadãs.


Pelo acordo, então, o PP está na titularidade de Obras e Serviços Urbanos, Assistência Social, Desenvolvimento Econômico, Renda e Turismo, bem como a de Agricultura e Aquicultura.


Melato só vai atuar como líder do governo na linha de frente, se o MDB ou outro partido da coligação colocar a mão na cumbuca bem protegida do PP gasparense. E como um macaco velho no assunto, não será com críticas, será com recados e a providencial omissão quando se fizer a necessária defesa das trapalhadas ou fragilidades do governo. Nem mais, nem menos. Acorda, Gaspar!



O prefeito Kleber, o presidente da Câmara de Gaspar, Anhaia e o líder do governo, Melato