Buscar
  • Herculano

PM PEDE "ESMOLA" À POPULAÇÃO PARA PAGAR CONTA DE SOCORRO A CÃO FERIDO. A OBRIGAÇÃO É A PREFEITURA



Este "retrato" possui muito culpados, mas todos, centralmente desencadeados pela ausência governamental liderada pelo prefeito Kleber Edson Wan Dall, MDB, e Marcelo de Souza Brick, Patriota, na reiterada omissão sobre este assunto. Ela - a desalmada prefeitura - está passando a responsabilidade e a conta para as pessoas que possuem sensibilidade, coração, iniciativa e inicialmente, não se omitem no socorro a animais de rua feridos, doentes e abandonados em Gaspar. Impressionante!


O caso. Mais, uma vez, sensibilizada diante do quadro, da omissão governamental e ao mesmo tempo receptiva os apelos da comunidade, uma guarnição da PM de Gaspar recolheu no dia oito de maio um cão de rua ferido. Pasmem: ele estava no Mirante, orgulho da atual administração, no Centro, na Aristiliano Ramos, e quase defronte da prefeitura onde está o prefeito e o vice, este em campanha eleitoral.


Sem alternativas, devido ao horário, a PM levou o animal à uma clínica especializada de Blumenau. Ontem, a conta já estava em R$2.500,00. E para honrar o compromisso e não passar vergonha, era a PM quem estava pedindo socorro da população para pagar o que devia na clínica por sua iniciativa solidária e humanitária. Incrível!


O descaso I. A PM não é obrigada à esta "operação". É algo excepcional. Ela não possui dotação orçamentária nem para a operação, nem para cobrir os custos do socorro quando se precisa de ajuda especializada de terceiros, neste caso, veterinários, medicação, cuidados e alimentação.


A PM tem que ter foco na segurança pública - que já é uma tarefa quase inglória por aqui diante da demanda crescente e efetivo escasso - e prender bandidos. Além disso, está fazendo o que é da prefeitura e a prefeitura, malandramente está omissa há muito tempo e em alguns casos, age como vingança política por, exatamente, não ter o domínio de Associações dedicadas à causa animal, como é o caso da Agapa, o mais notório só porque ela está judicializando esta omissão.


O descaso II. O que a PM fez é obrigação legal da prefeitura de Gaspar. Nem mais, nem menos. E ela vem se escapando, e quando ameaça dar alguma solução, é movida por intenções, aparelhamento e discursos de resultados políticos-eleitorais. Uma vergonha!


O descaso III. Tudo isso, acontece de verdade, diante de uma certa frouxidão do Ministério Público - que também tem outras demandas, a prefeitura sabe disso, por isso joga achando que nas prioridades do MP ela se escapa - e da própria Justiça, onde a prefeitura está recorrendo para se livrar das obrigações que já foram lhes impostas.


Hoje por exemplo, o prefeito Kleber rumou em caravana político-religiosa para Chapecó. Nem uma palavra sobre este caso que inunda às redes sociais, canais que Kleber e seu vice Marcelo tanto usam para se promoverem.


Desvio de função. Não é obrigação da PM agir como agiu neste caso. Ainda mais, quando fazendo, emergencial e humanitariamente fica exposta como ficou. A que devia vir em socorro, depois da ação emergencial da PM, deveria ter sido a própria prefeitura de Gaspar para agradecer, cobrir os custos via uma política pública de zoonoses, que não possui e por isso mesmo, também é um caso sério de saúde pública.


Ora, quem não cuida minimamente do saneamento básico, como mostrei no artigo de ontem, e por cinco anos, não age de verdade na mesma linha na causa animal a não ser em discursos desconectados, eleitoreiros. Foram até, vejam só, ver o que se fazia em Florianópolis nesta área, quando se tem soluções aqui bem perto de nós, como Blumenau, por exemplo.


Aliás, mais produtivo, seria a aplicação de uma política integrada regional. Mais barata, mais eficiente. Nem capacidade para conversar e convergir essa gente possui.


Enquanto isso, Gaspar não tem política pública, um responsável por ela, não mapeia a população de animais de rua, não os castra, não os controla, não os vacina, não guarda provisoriamente, não lhes dá assistência, não possui uma política de adoções, deixa à mingua e pedintes os abrigos voluntários existentes e consequentemente, deixa exposta à saúde das pessoas, normalmente, as de periferia, onde estão a maioria desses animais e onde há mais vulnerabilidade social e de saúde.


E nas redes sociais dos políticos do poder de plantão, incluindo Kleber, esta situação ou está sob controle, ou há um interesse em resolvê-lo. Quando, de verdade, não se sabe. Cinco anos já foram para o saco do governo de Kleber. E a conta pendurada pela PM nesta semana na clínica em Blumenau, mostra que tudo isso na prefeitura não passa de ficção e enrolação. Acorda, Gaspar!


Em tempo. Em Abril de 2020, repito, 2020, foi criado ‘Dezembro Verde’ como o mês de conscientização contra o abandono de animais. A proposta é de autoria do presidente da Câmara, Ciro André Quintino, MDB. Ela foi sancionada pelo prefeito. Perguntar não ofende: qual mesmo foi a conscientização do poder público sobre este assunto? Blá, blá, blá.


Na área de comentários eu reproduzo a proposta dos candidatos Kleber e Marcelo para a "Causa Animal", numa pergunta que responderam para a campanha de 2020. Blá, blá, blá. Mais uma vez caçoaram contra os eleitores e eleitoras. Esta é a Gaspar embrulhada.


TRAPICHE


Sinal de alerta. A reunião da Gecom - Gestão Compartilhada e que distribuiu recursos e obras com a participação da população do bairro - realizada no Bela Vista teve, inusitadamente, pouca gente. E olha que estão lá dois vereadores do governo Kleber Edson Wan Dall, MDB e Marcelo de Souza Brick, Patriota, e outro que é boicotado por eles.


Agenda e Registro I. Neste sábado e domingo no "Ninho" do Espaço Terral acontece o 23º Festival de Voo Livre de Gaspar, organizado pelo Clube de Parapente do Vale. Haverá ainda balonismo e voo de parapente.


Criaram vergonha na cara. Depois de anos sonegando, passando vergonha, sendo cobrados e improvisando o "Maio Amarelo", e sendo malhada por isso, a Ditran de Gaspar, ocupada por curiosos, conseguiu ao menos produzir uma ação relevante neste ano: trouxe o especialista Emerson Luiz Andrade para palestrar.


Aliás, Emerson, reconhecido nacionalmente como um especialista nesta área, foi o único capacitado que ocupou tal função na Ditran de Gaspar. Este fato, por si só, mostra bem como tudo regrediu por aqui em favor da politicagem e empreguismo de curiosos.


A comunicação oficial da prefeitura de Gaspar e institucional do prefeito é algo que beira a experiência de escolares e leigos no assunto, tanto que o prefeito Kleber Edson Wan Dall, MDB, foi engolido na pretensão de ser candidato a deputado estadual. Sabia o que fazia e com quem deixou ser gerenciado pelo improviso neste assunto.


Agora, a prefeitura, pelo mesmo site, está sendo apelidada de "prefa". Tudo a ver. É uma verdadeira prefa, mas sem aspas. É um erro atrás do outro. Dar cara de jovem é uma coisa, banalizar é outra bem diferente. Pior é insistir naquilo que já se mostrou ineficaz por ser tratado como uma brincadeira experimental.


Alô Gaspar! Alô poderosos de plantão dentro e de fora da prefeitura agora unidos diante do problemaço que criaram para si, a cidade e vizinhos em várias partes da cidade. O Tribunal de Justiça já decidiu que o município e a construtora (loteadora) são responsáveis por inundações que os empreendimentos causem a terceiros e vizinhos. Isto aconteceu em Criciuma. Houve dano moral. Haverá em decorrência disso, outras indenizações e reparações.


O Tribunal ratificou a decisão de primeiro grau em Criciuma. Agora, mesmo que haja decisão contrária nas Comarcas sobre este tipo de assunto, é extremamente grande a possibilidade do Tribunal reverter e unificar a decisão para a que proferiu recentemente. Então o tal corpo fechado, é apenas um ganhar tempo e uma falsa expectativa.


O que reportou na edição de ontem CoJur sob o título de "Lanterna dos Afogados"? "Além da indenização, que vai passar por correção monetária, tanto a prefeitura quanto a construtora deverão providenciar obras de readequação no sistema de drenagem das águas fluviais e bancar os prejuízos materiais causados à residência do morador".


"Segundo o juiz da sentença, o desembargador Pedro Aujor Furtado Júnior, a perita judicial concluiu que o projeto realizado no local não foi dimensionado para atender ao fluxo das águas e, assim, contribuiu para os danos registrados na casa do vizinho do loteamento". Ai, ai, ai.... Vão precisar de muita influência no Tribunal.


Sai e entra secretário da Saúde, e ela continua doente contra os cidadãos gasparenses e os políticos alheios ao sofrimento que se impõe ao povo? Não é que ontem, sem avisar previamente à população e os que tinham consultas marcadas, ou necessidade de informações, coleta de medicamentos, ou atendimento emergencial, os postos de saúde fecharam para reuniões internas?


Não se discute à necessidade disso. Eu particularmente acho necessário, se producentes. Entretanto, ela deve ser programada, avisada com antecedência em respeito à cidade, cidadãos, cidadãs, sempre os mais necessitados e vulneráveis. E depois dizem não saber à razão pela qual o Pronto do Atendimento lota e causa mais problemas à imagem do Hospital e dos políticos locais. É uma cadeia de improvisos que geram problemas.


Esta é a cara do governo de Kleber Edson Wan Dall, MDB, e Marcelo de Souza Brick, Patriota. Eles ao mesmo tempo que abusam da comunicação nas redes sociais, mas falham quando ela mais é necessária. Desrespeito continuado. Entende-se cada dia mais à razão pela qual Kleber correu do pau na candidatura a deputado estadual.


A foto é do Posto do bairro Santa Terezinha. Todos praguejando contra a porta fechada onde foram barrados e feitos de tolos. Acorda, Gaspar!