Buscar
  • Herculano

OS QUE PERDEM A NOÇÃO DELES PRÓPRIOS EM DETRIMENTO DA RAZÃO MÍNIMA



Sempre desconfiei e fui refutado - e cancelado - pelos fanáticos de ambos os lados. Todavia, o tempo se encarregou, mais um vez, de ser o senhor da razão. O petismo, a esquerda do atraso e o lulismo são faces da mesma moeda da direita xucra, do bolsonarismo, das milícias e do sectarismo que passamos a conhecer melhor com Jair Messias Bolsonaro, sem partido.


Sem a polarização intencional de ambos, nenhum dos dois sobreviverá. E estamos comendo esta isca. E faz tempo. E eles auto-alimentam para que em outubro do ano que vem estejamos discutindo os dois, e não uma saída diferente deles que que não passem por essa gente que para sobreviver precisa destruir o país e sua gente.


Converse com representantes raízes ambos os lados e descubra o que move e fundamenta as suas ideias, ações e pensamentos - se que é que existem. É de se respeita-los, mesmo discordando frontalmente deles


Contudo, experimente "dialogar" com os convertidos. Linguagens frágeis - quando não chulas, exatamente por lhes faltar argumentos naquilo que justificam, querem, propagam e contrapõem. Isto sem falar na repetição de tudo isso como se fosse um mantra, uma oração.


A ambos os lados faltam inteligência, estranhamente, isso é mais à direita que, marcada, por décadas talvez porque ficou longe do debate público. Esta ilustração deste deste comentário, vale muito mais do que os meus textões.


No fundo mesmo, é Bolsonaro - com as atitudes destrambelhadas quando não as de ditador de quinta categoria - quem destrói o discurso e o ideal dessa gente. Cada semana é pior que a outra, não só na contagem dos milhares de mortes, mas na capacidade para salvá-los.


Se existe comércio e atividades fechadas, foi Bolsonaro que assim quis e não os governadores e prefeitos. Foi Bolsonaro que boicotou a vacinação, milhares de vezes mais barata do que os leitos de UTI, onde se morre porque não se chega neles, e quando se está lá, tardiamente, faltam até oxigênio, remédios e profissionais para cuidar dos doentes. Wake up, Brazil!