Buscar
  • Herculano

O TEMPO PASSA; O TEMPO VOA. SÓ A POUPANÇA BANMERINDUS...



Estes dias escrevi aqui e que pode ser relido aos interessados, que enquanto se inaugurava um trecho - ínfimo se olharmos o projeto total - no bairro Santa Terezinha, bem feito - com pista dupla e bem diferente daquele que se enrola entre as avenidas Frei Godofredo e Francisco Mastella - e pronto desde novembro do Anel de Contorno, executado por particulares num termo de compensação e sem dinheiro da prefeitura de Gaspar, o problema de isolamento da Coloninha, Águas Negras, Figueira e Bela Vista continuava sendo uma ameaça real e permanente se se repetisse a tragédia da Anfilóquio Nunes Pires que um dia ela se deslizou para o Rio Itajaí Açú.


Neste caso, o isolamento é da prefeitura de Kleber Edson Wan Dall, MDB, pela falta de iniciativa governamental para algo estratégico, razoavelmente simples e de poucos recursos financeiros, mas fundamental na mobilidade urbana interna - e até regional - de Gaspar.


Volto. Os políticos no plantão parecem que leram o blog - líder de acessos e influente na cidade - e tomaram tento. Ufa! Não pelo blog, mas pela cidade!


Ou, então, mais uma vez, fingiram de que estão preocupados com a cidade e os cidadãos. E na falta de assunto melhor, encheram as suas redes sociais de "novas" velhas notícias para mitigar eventual ausência e culpa deles se o desastre chegar de verdade um dia.


Aliás, o ciclo anual das cheias do Rio Itajaí Açú que movimenta as barracas, auxiliada pela extração ilegal de areia próximo as margens e sem fiscalização local, vai recomeçar em junho.


Ao menos na propaganda que postaram nas suas redes sociais, os políticos se mostraram sérios, desta vez. A foto está acima. Vamos aos fatos.


Na sexta-feira, um punhado de políticos, palpiteiros e técnicos foi com o secretário de Obras e Serviços Urbanos, Luiz Carlos Spengler Filho, PP, ao Gaspar Grande, vejam só, para "conhecer" e discutir a ligação da Rua Augusto Pantaleão Soares à localidade das Águas Negras.


Essa ligação sai ali do Willi Becker, via o Morro dos Moser para dar nas Águas Negras, se interligando a Figueira. No mesmo dia e momento, discutiu-se o alargamento da estrada da Garuba.


Estas vias, criam alternativas às inesperadas interrupções da Anfilóquio Nunes Pires - por deslizamentos da barranca ou até por acidentes rodoviários e químicos -, evita o colapso interno entre os nossos bairros da zona Oeste e em direção a Blumenau - como se viu no passado recente aos moradores daquele miolo onde estão as ruas José Casas e Olga Bohn, por exemplo, na Coloninha.


E se isso não fosse pouco, onde nem gente a Ditran possui para organizar o trânsito em tempos de emergências, diminui os custos financeiros do improviso e na própria imagem dos políticos que se desgastam nas explicações e cobranças dos afetados diretamente e ainda mais, se o desastre acontecer em tempos de pedir votos


Essa alternativa também contribui para a mobilidade regional. E o alargamento da estrada geral da Garuba que vai dar nos bairros Ribeirão Fresco, quase no Centro de Blumenau, ou no bairro da Glória, no Distrito do Garcia, dispensam comentário na sua importância para a mobilidade regional.


SOLUÇÃO E RANÇO POLÍTICO ANTIGOS


Se os que foram tirar a foto no Gaspar Grande não estão criando mais um factoide para aparecer na falta de assunto sério e atual, o interessante disso tudo, é que esses mesmos políticos estão requentando coisa antiga, já muito debatida em Gaspar e esquecida apenas por ranço e vingança.


Esta solução vem desde o governo de Adilson Luiz Schmitt (2005/08) e que se tornou um pária para essa gente poderosa depois que ele peitou o MDB - pelo qual se elegeu prefeito - e por causa do enfrentamento aos "donos" do partido e que mandam até hoje em Gaspar - teve que sair do partido e o MDB, recolher-se e ficar oito anos na moita enquanto Pedro Celso Zuchi, PT, governava. Agora faz a festa e cobrando o atraso.


Foi Adilson quem apresentou e defendeu essas alternativas.


Por ser dele a ideia, esses mesmos políticos que não podem mais esticar-se contra a realidade que infligiram à cidade, voltaram a debater um tema com atraso 15 anos. Ela tinha o nome de "rodovia Intermunicipal" e praticamente aproveitava ruas já existentes, mas que precisam ser alargadas, pavimentadas, reestruturadas... Inacreditável.


Esta "rodovia" além da Anfilóquio Nunes Pires, se integrava com a estrada geral das Águas Negras, João Izidoro Schramm, Augusto Pantaleão Soares, Estrada Geral da Garuba e prefeito Leopoldo Schramm entre outras.


Este traçado, como já acentuei, neste e outros artigos que fiz sobre o tema em anos, na maior parte já existe. Requer pouco investimento se comparado a um Anel de Contorno, por exemplo, que é necessário e nunca deve ser descartado para ser substituído por esse tipo de projeto.


Essa ligação intermunicipal aproveitando as vias existentes ou se abrindo pequenos trechos entre áreas ainda não interligadas como é o caso para se alcançar a Águas Negras a partir do Gaspar Grande, favorecem muito mais o nosso ir e vir interno do que o dos passantes por Gaspar. Essa mobilidade interna alimenta o desenvolvimento imobiliário e a urbanização de novas áreas. Acorda, Gaspar!