Buscar
  • Herculano

O SEGUNDO IMPEACHMENT



Instala-se às 9h desta sexta-feira, em Florianópolis, um novo tribunal de julgamento para decidir se aceita ou rejeita um pedido de impeachment contra o governador de Santa Catarina, Carlos Moisés ,PSL.


Desta vez, o processo é motivado pela polêmica compra de 200 respiradores com pagamento adiantado de R$ 33 milhões pelo governo do Estado, em março de 2020. Os equipamentos nunca foram entregues e o Estado ainda não conseguiu recuperar todo o valor da negociação.


Sem o estardalhaço e a perspectiva certa de impeachment do primeiro, apesar de fato muito mais concreto do o primeiro, este impeachment só prosperará se ficar provado que o governador atuou como mandante e domínio operacional de todo o processo de compra. A própria Polícia Federal já atestou que não.


Além do que, desde o primeiro processo de impeachment, o coronel bombeiro militar da reservar, Carlos Moisés, saiu do isolamento político e se articulou. Ou seja, em tese, hoje ele estaria mais protegido dentro da própria Assembleia. Para isso, perdeu não apenas anéis e a arrogância, mas dedos, para se manter vivo politicamente e no poder.