Buscar
  • Henrique Martins

O MUTIRÃO DA VACINAÇÃO DA COVID EM GASPAR FOI DESORGANIZADO, DESUMANO E CONTAMINANTE

video




A intenção foi excelente: fazer um mutirão e vacinar idosos acima de 75 anos contra a Covid-19, num domingo pela manhã (das 8h às 12h).


No fundo, era propaganda política e de governo na veia com a desgraça da pandemia fora de controle, exatamente pela falta de vacinação em massa patrocinada pelo presidente Jair Messias Bolsonaro, sem partido.


E o castigo da politicagem veio a cavalo, naturalmente. E por quê? necessária vacinação era apenas marquetagem entre amigos no poder de plantão e não exatamente uma ação planejada e responsável de saúde pública.


A ação feita por amadores - empregados naa prefeitura de Gaspar pela afinidade político-partidária-religiosa que infestam o governo de Kleber Edson Wan Dall, MDB e seu vice, Marcelo de Souza Brick, PSD, foi mais um tiro saiu mais pela culatra, entre tantos em diversas áreas de governo.


Restou à curiosa no assunto, a secretária de Saúde, Silvania Jonoelo dos Santos, apelar em vídeos nas suas redes sociais duas vezes na manhã do domingo: no primeiro desmentir uma realidade como a que mostra este outro vídeo que postei aqui, como se esse "desmentido" fosse possível, e no outro, invocar a bíblia como se tivesse no seu templo à pregar para seus dóceis fiéis e convertidos.


Sobre quantos foram vacinados no mutirão, até agora, nem um pio oficialmente. Falta de transparência, fato reincidente do governo Kleber e de seus "çabios".


Enquanto imprensa dormia, como registrei ontem (domingo) cedo aqui no comentário "Para que serve o blog..." e que pode ser relido abaixo, que os idosos, a maioria levados por seus parentes e muitos deles com problemas de mobilidade devido à idade, chegavam e se aglomeravam no Ginásio João dos Santos, local da imunização. Espera sob calor e sol.


E o prefeito Kleber também chegou cedo, mas para tirar fotos, postar e se vangloriar nas suas redes sociais. Sobre a desordem, fez, mais uma vez, que a não viu. Presente, poderia ter orientado modificações.


Primeiro grande erro. O Ginásio João dos Santos é um local de triagem de gente doente e contaminada. A vacinação de pessoas idosas e vulneráveis não poderia ser lá. Isso mostra o quanto a saúde é tocada por curiosos em Gaspar. Faltou planejamento técnico óbvio.


Não é a toa que em pouco mais de quatro anos de governo, Kleber e seus "çabios" trocaram cinco vezes de secretário da saúde, e o Hospital de Gaspar sob intervenção municipal herdada, teve sete gestões diferentes, a última trocada em plena crise sem transparência e explicações públicas.


Segundo grande erro. O mutirão como acontece na maioria das cidades - ou seja, não precisa se inventar nada -, deveria ser feito em sistema de drive thru. Este sistema permite o distanciamento social, o conforto das pessoas e principalmente as com problemas de mobilidade.


Áreas não faltam na cidade, a começar pela abandonada Arena Multiuso na Hercílio Fides Zimmermann, na Margem Esquerda.


Mas, poderia, por exemplo, ser naquela área onde se fez aquele mega-comício de encerramento da campanha de Kleber, também em sistema de "drive thru", em novembro do ano passado e cedido pelos empresários amigos do poder de plantão. Ou seja, para fazer campanha eleitoral e politicagem, há planejamento. Já para salvar vidas... e de idosos...


O terceiro grande erro. Mesmo que não fosse no Ginásio João dos Santos onde há um grande risco de contaminação misturando gente doente com gente sã, agravaado por estarem no grupo de risco alto, e ainda não fosse possível o drive thru, deveria haver um pré-agendamento, ou a distribuição de senhas, com orientadores presenciais para o exercício do distanciamento social. E não houve nada disso.


Menos mal. O prefeito Kleber disse ao final de todos esses desencontros e depois que tudo se espalhou pelos aplicativos de mensagens e redes sociais, provando que não se tratava de mais uma implicação minha, que a aplicação da segunda dose da vacina será em drive thru e lá na Arena Multiuso.


A conferir o nível de aprendizado deste caso e a palavra empenhada. Os nossos idosos, agradecem ao mínimo bom senso dos jovens administradores de Gaspar. Acorda, Gaspar