Buscar
  • Herculano

O MAIO AMARELO É LEMBRADO AOS GASPARENSES PELA CAMPANHA DA PREFEITURA DE BLUMENAU NA TVs DE LÁ


Atualizado as 9h35min.Já escrevi sobre este assunto. Vou repeti-lo, não pela birra, ou devido à falta de assunto mais relevante, mas pela incapacidade da Ditran - Superintendência de Trânsito - de Gaspar, outra tocada por um curioso no assunto e vindo de Blumenau, especialista em assuntos fundiários que não deu certo, para se empregar na vaga política do PSD, o Maico Rodrigo Ebertz , patrocinado pelo vice-prefeito Marcelo de Souza Brick, PSD.


Estamos em pleno Maio Amarelo, aqueles denominados e criados por lei de políticos no parlamento para as campanhas de conscientizações, neste caso, para um trânsito menos violento, mais urbanizado.


Gaspar só percebeu que o mês de maio poderia ser amarelo quando já se estava nele. Rapidamente, depois do artigo escrito aqui, mandou confeccionar banners que mal podem ser lidos por quem está dirigindo. Eles estão em determinadas vias e praças daqui.


Resultado: a melhor campanha de conscientização do Maio Amarelo aos gasparense, até agora, vem da prefeitura de Blumenau, que está patrocinando nas TVs e rádios de lá, um filmete e spot de conscientização simples, mas ao mesmo tempo, muito interessante. Faltou planejamento. Faltou fazer menos politicagem e mais exercício técnico numa área técnica.


Mas, a ausência de uma ação de comunicação para comemorar o Maio Amarelo por aqui, animou os internautas nas redes sociais.


Eles criaram um meme que pegou. O meme retrata bem a nossa realidade contraditória: quando os políticos que deviam dar o exemplo são os primeiros a burlar o bom senso e à legislação, qual é mesmo o Maio Amarelo que queremos promover?


O que vale? O está nas faixas, nas multas, ou o que os políticos praticam como mostra o prefeito Kleber Edson Wan Dall, MDB e o vice, Marcelo de Souza Brick, PSD, quebrando as regras e sem medo de ferir o Código Nacional de Trânsito no péssimo exemplo de ambos? Foram por exemplo, multados?

Por outro lado, muito desse esquecimento do Maio Amarelo, não só deste ano, vem do sucateamento da Ditran e de como ela é dirigida. De um lado com ocupação política por curiosos e por outro, com o estômago, por quem não admite ser questionado no ambiente de poder para algo que deveria ser unicamente técnico.


Dos onze agentes, apenas três estão disponíveis. E se respeitar a escala e nada acontecer - férias, atestados etc -, só dois estariam disponíveis em horário comercial, como se a cidade só tivesse trânsito e problemas, como acidentes, nesse horário. Feitas as contas mais uma vez, na verdade, só há um disponível de todo o efetivo para a fiscalização, ou, exige-se maciça horas extras dos que estão lá à disposição da escala.


Na semana passada, a cidade conheceu a punição ao agente Pedro Silva (reprodução acima), um dos mais antigos do quadro. Ele pegou 30 dias de gancho, oficialmente. Mas, nele, Silva já está há muito tempo neste governo como já andou marcado no governo do petista Pedro Celso Zuchi por multar gente poderosa.


Mesmo diante da falta de agentes, Silva foi deslocado para invernar em serviços burocráticos no pátio de carros apreendidos e agora, estava à disposição da Polícia Militar.


O que pega? Silva não quer fazer onze horas de serviço por dia para cobrir a inoperância da repartição e à falta de concurso público necessário à estruturação mínima da Ditran. Mais: Silva é legalista com o bloco de multas na mão. E isso é um perigo para os políticos na gestão de crises. Acorda, Gaspar!