Buscar
  • Herculano

MUITO DINHEIRO SEM RETORNO NA SAÚDE, EDUCAÇÃO E ASSISTÊNCIA

Uma passadinha do gasparense pelos números do balancete de 2020 poderá esclarecer o quanto as políticas públicas e sociais do governo de Kleber Edson Wan Dall, MDB, fracassaram para o cidadão e à cidadã, vulneráveis ou dependentes da eficiência do serviço público municipal.





E tudo continuará assim. E por que? Primeiro por Kleber e sua turma de "çabios" não reconhecem esses erros, apesar deles estarem todos traduzidos em números e em testes aferitivos, como foi o vergonhoso resultado do Ideb. Silêncio! Nem uma palavra ou principalmente, plano de como reverter esta situação humilhante.


Quem precisou do postinho de saúde, farmácia, do Hospital e sofreu perrengues, ou que viu seu filho ficar, digamos, assim, menos instruído nas escolas municipais se comparados com os que já passaram pelas escolas daqui anteriormente, não vai acreditar na montanha de dinheiro que a prefeitura de Gaspar colocou nestes dois setores via recursos próprios ou transferências de várias esferas governamentais. Impressionante.


O orçamento da Educação [Infantil e Fundamental, sem a Cultura] era em 2020 R$64.183.972,55, mas fechou com R$67.961.298,62. Tudo isso num ano sem aulas devido a pandemia do coronavírus, num ano em que se anunciou a queda do Ideb exatamente no período sob a responsabilidade de Kleber e a secretária da Educação. Ela foi eleita vereadora. Meu Deus!


Zilma Mônica Sansão Benevenutti, com 644 votos, está de alma lavada para o seu MDB Trocou o resultado dos alunos por resultado nas urnas. E os egressos, como provou o Ideb, menos capacitados e competitivos até para pedirem um emprego público. Afinal quem levou vantagem nessa troca? Inacreditável! Então nada mudará!


Na Saúde, onde se trocou quatro vezes de titular nos quatro anos de governo Kleber, em ano de pandemia as coisas aconteceram aos trancos e barrancos, sem transparência. Até os números dos mortos de Covid-19 se atrasou.


As queixas, todavia, vêm de muito antes da pandemia e se fez de tudo para que este assunto não estivesse em debate na sociedade, principalmente em relação ao Hospital de Gaspar, que ninguém sabe de quem, que sob marota intervenção municipal, que consome uma baba de dinheiro público e não dá conta do recado.


O orçamento do Fundo Municipal de Saúde era de R$51.922.849,52, mas fechou em R$69.443.657,64.


Estas duas rubricas, individualmente, são inclusive, maiores do que por exemplo a do Planejamento Territorial onde estão projetos, obras de infraestrutura e contratações para o marketing visível do governo Kleber. É impossível que com tanto dinheiro, não se consiga produzir resultado para a sociedade, principalmente a desassistida, vulnerável, a que depende unicamente do poder público.


É preciso mais luz e transparência nesses ambientes como o da "desassistência" social crônica de Gaspar e que não vem deste governo mas tem um histórico de décadas.


Ela também, estrategicamente, ensaiou o seu titular como candidato a vereador. Foi derrotado. Nela se orçou R$9.176.950,00 e ao fim se consolidou numa despesa, pois investimento não foi, de R$10.960.623,62.


É uma montanha de dinheiro, mal usada e com péssimos resultados para a sociedade, conforme atestam os técnicos que viveram anos de angústias na gestão Kleber e tinha esperanças de mudanças. Ou seja, nada mudará, mais uma vez. Acorda, Gaspar!