Buscar
  • Herculano

JUNTINHOS E NA MESMA ORAÇÃO

Político gasparense experimentado, assíduo leitor da coluna, fez-me, há pouco, a seguinte observação desde que seu nome fosse preservado - e veja só, para não sofrer perseguição política - do poder onde está devidamente inserido e usufruindo. Calcula-se o que se faz contra os raros adversários ou quem está tentando mais espaços na coligação MDB, PSD, PP, PDT, PSDB


"Acho que fugiram todos para não receberem o o presidente do Sintranspug", disse-me ele sobre a viagem do prefeito, do vice, do prefeito de fato e do presidente da Câmara de Gaspar a Brasília, enquanto se vota hoje à tarde, extraordinariamente o PL 01/2021, algo sem urgência alguma e que capa mais de 400 cargos efetivos do baixo clero na prefeitura de Gaspar.


Sintomática esta leitura de quem está jogando o jogo do poder em Gaspar. Mais sintomática e clara foi esta outra observação da mesma fonte ao completar a leitura dos fatos e já amplamente analisados aqui: "lembrando que essa diretoria do Sindicato foi eleita com a ajuda do poder de plantão".


Aos esquecidos, relembro que o presidente eleito foi Jovino Emir Masson, ao se aposentar do serviço público municipal, passou à presidência do Sintraspug, devido à exigência específica do estatuto, ao Jeferson Debus.


Quando Jovino foi eleito, todos sabiam que ele iria se aposentar no meio do mandato e que iria passar o mandato para o Jeferson. Para esse político, tudo o que está acontecendo é encenação de ambas as partes. Acorda, Gaspar!