Buscar
  • Herculano

JOÃO PEDRO SANSÃO É O PRIMEIRO ADVOGADO GASPARENSE A FAZER UMA DEFESA ORAL NO SUPREMO. É HISTÓRIA


Hoje, por ser sábado e início do longo feriado da Proclamação da República, abro uma exceção. Faço um registro e com o viés ao qual poucos se atentaram para a conquista de um jovem advogado da terrinha nesta semana. Um autêntico quebra tigela!


Não vou escrever sobre o que levou o recém formado - e aí começa o ponto de inflexão e o destaque - João Pedro Sansão a ir a Brasília e nesta semana, com eloquência no fundamento, apesar do natural nervosismo do debùt, defender o ponto de vista do seu cliente, a União Catarinense dos Estudantes.


Já fiz isto em outros artigos sobre a demanda. Também ao assistir o vídeo nesta coluna, você leitora e leitor tomará intimidade, mesmo que parcial, sobre o tema, o motivo da interferência, da oratória estruturada, didática e paciente de João Pedro.


Vou me ater a três pontos quase de ordem pessoal de João Pedro: a origem, a militância e a persistência profissional.


Antes porém um parênteses necessário.


Não temos proximidade. As idades são extremas. Ele já foi alvo da minha pena ferina. É outro dia. Não tenho nada a reparar ao que escrevi sobre ele. E numa troca privada de mensagens, enxergando potencial profissional dele, bem como à forma como ele se estabeleceu na carreira, ousei sugerir trocar o juvenil ativismo político e partidário pelo engajamento profissional.


Aliás, a meta dele, é atuar nos graus superiores em Brasília.


Bom, dificílimo, desafiador e aí, no meu entender, que mora à mudança de foco para se conquistar o diferencial. Não basta o marketing. É preciso foco e resultados. Já fiz este tipo de escolhas. Também difícil, pois se trata de pragmatismo e embute algumas perdas emocionais e até conviver com alguns rótulos inadequados.


Retomo.


Se o meu pitaco ao jovem contraria à minha própria história, até fazer uma escolha conservadora, ou de discrição, ao sair do jornalismo profissional diário no final da década de 1970 e me reciclar para novos desafios, é porque, feita a escolha, se escolhe também os nossos limitadores comportamentais. Você ficará "preso" a um certo tipo de patrulha até aos que tentam encostar na cerca do novo cercadinho.


O ativismo - seja qual a causa que você abrace, incluindo a política, é incompatível para a maioria no ambiente produtivo, ou das profissões liberais que vão ser avaliadas por resultados aos clientes. Simples assim!


Mas, o que fez este jovem advogado, que encurtou caminho, e já ganhou até o direito de se expressar perante a principal corte do país, e ser o que é e estar comemorando?


O ativismo político - e até ideológico -, à reiterada persistência, a rede de contatos dentro deste ambiente político e agora jurídico, bem como à sua chatice - naquele sentido de se ter objetivos a serem perseguidos reiteradamente, como foi o caso da causa que abraçou em favor dos estudantes espoliados pelas escolas durante à pandemia.


Um profissional experimentado, no lugar dele, talvez teria desistido, ou se aceito, nem percebido o que João Pedro, recém egresso de um banco escolar, sentia na sua própria pele. Além da técnica, o doutor João Pedro tinha a realidade perversa a seu favor. E isto está bem claro na sua exposição no STF e que está no vídeo acima.


Era uma voz de um estudante, com os comedimentos do profissional preparado e consciente para não ser um mero ativista perante à corte onde busca um resultado que lhe é muito difícil não exatamente para ele, mas para os estudantes.


Outra.


Na sua sustentação, o doutor João Pedro não esqueceu à sua origem: a de recém formado na Furb. Isto apenas não elevou os egressos do curso de Direito daqui da vizinha Blumenau, mas ao mesmo tempo, arregalou os olhos dos presentes: havia formação no orador que não deixava nada a dever para as grandes escolas de Direito do Brasil.


Mas, como João Pedro chegou lá? Pelo ativismo estudantil e político. Inegável. Todavia, soube separar no momento adequando isso tudo. O ativismo estudantil permitiu à aproximação com a UCE. O ativismo político o levou a ser estagiário do Martins Cardozo Advogados, do ex-ministro da Justiça do governo de Dilma Vana Rousseff, PT, José Eduardo Martins Cardozo.


Graduou-se na pandemia em novembro do ano passado, mas em agosto, já tinha a sua OAB, condicionada à formatura. Tudo começou no Centro Infantil Evolução, da dona Jandira, na Coloninha, passou pelo Colégio São Francisco, mais tarde e agora Unificado, bem como pelo colégio Madre Francisca Lampel, onde se formou em 2014.


E o ativismo político e que particularmente penso ser responsável pelo que conquistou até agora no campo profissional, pois se trata de uma escolha e escola viva? Está neste resumo.


Vereador Mirim em 2010, fundador do Interact em 2013 e do Rotaract em 2021, filiado ao PT em 2013, trabalhou como estagiário na gerência de Meio Ambiente e na coordenação da Defesa Civil (2013-2014).


Candidato a vereador em 2016 fazendo 330 votos, assumiu a cadeira como suplente em 2018 sendo o mais jovem vereador do estado, trabalhou com o advogado Ivens Duarte como estagiário, ainda foi catequista, coordenador diocesano da pastoral da juventude, diretoria da Associação de moradores do bairro Coloninha, candidato a vice-prefeito em 2020 (2.500 votos), sócio do Escritório Castro, Sansão e Vanz advogados junto com o ex-chefe de gabinete Doraci Vanz e Ex-procurador geral do município Fernando Castro.


Então foi atrás daquilo que almeja para ser reconhecido profissionalmente. Escreveu o nome na história e ninguém mais pode tirar: o primeiro gasparense numa defesa oral no STF. Não há sorte. Há dedicação e oportunidade juntas. Sem dedicação e insistência você não conhece e ao mesmo tempo pode aproveitar à oportunidade que lhe apresenta e que alguns rotulam de sorte. E estou cada vez mais convencido disso.


O QUE DISSE A REITORA DA FURB NA SUA REDE SOCIAL


Para não dizer que eu estou babando e nem estou escrevendo sob pena paga, muito comum por aqui e nos dias de hoje, ou com segunda intenções. Com os devidos descontos, pois é uma direta interessada, a docente no curso de Arquitetura, Márcia Cristina Sardá Espíndola, reitora da Furb, onde também sou egresso de dois cursos (Administração de Empresas e o de Direito) escreveu o seguinte sobre este mesmo assunto:


Boa noite: o João Pedro foi um aluno excepcional e está destacando-se na advocacia. Que orgulho realmente!!! Vamos fazer divulgação nas nossas redes do curso!


Que legal. O Sansão é um querido, dedicado, inteligente, engajado e adora a Furb. Nosso parceiro de sempre. Uma fala pertinente e cuidadosa.


Realmente é motivo de orgulho, mostra a qualidade dos nossos egressos.


Fazia a diferença em Sala de Aula. O veremos realizar altos voos acadêmicos e profissionais. Que bom!!