Buscar
  • Herculano

IMPRENSA DE GASPAR IGNORA FATOS E PASSA RECIBO DO ATRASO OU ATRELAMENTO AO MARKETING POLÍTICO



Escrevi na segunda-feira aqui em "O PALANQUE ELEITORAL ARMADO NO TRECHINHO DOIS DO ANEL DE CONTORNO. AGORA É TORCER PARA ELE AGUENTAR" que o ato de sábado pela manhã (foto acima) no pasto do Jacaré, antes de ser uma inauguração, foi um recado político. É um fato. E como fato é notícia. E sendo da hora, segundo os manuais de jornalismo, deveria ser noticiado pelos portais e os que se comunicavam ao vivo.


A imprensa estava lá. Preferiu ignorar. Ou não deu credibilidade para o porta-voz escolhido para o anúncio?


Como não repercutiu, como o meu comentário sobre o fato em um blog líder em acessos não foi como os políticos da armação queriam, quatro dias depois, a notícia, como peixe deteriorado, foi requentada pela ação marqueteira dos políticos interessados no plano junto a imprensa gasparense.


Nela, o prefeito Kleber Edson Wan Dall, MDB, foi lançado, no balão de ensaios, a deputado estadual. É para ver como a coisa pega, como as batatas se ajeitam no saco - pois dentro do MDB há muitos cabos eleitorais para candidatos paraquedistas - e dar sinais de calma e união aos descontentes dentro da aliança de governo MDB, PSD, PP, PDT e PSDB.


Os meus leitores e leitoras já sabiam disso, inclusive à razão da trama. Como de costume, nem crédito recebi.


Antes de encerrar, uma advertência: tudo isso é demarcação de território e à pressa do poder de plantão para demarcar o seu, está nas pesquisas. Elas mostram o desgaste na credibilidade do governo.


Intensa exposição nas redes sociais contrariando à realidade que todos enxergam no dia-a-dia, equipe despreparada, enfrentamentos gratuitos, também se estabelecem em perdas políticas. Igualmente, a longevidade no poder se torna um problema. foi assim com o PT e o ex-prefeito Pedro Celso Zuchi.


E depois muitos dizem não entender a razão pela qual lidero os acessos e leitura. Eu explico. Não enrolo. Não tenho compromisso com o poder de plantão, nem com quem o quer, por meios legítimos. Acorda, Gaspar!