Buscar
  • Herculano

HOJE É A VOLTA DO VEREADOR AMAURI



O vereador Amauri Bornhausen, PDT, confirmou ontem ao seu gabinete, de que estará presente na Câmara de Gaspar a partir das 13 horas. Vai despachar e atender os eleitores e eleitoras normalmente. E a noite participará da sessão, após a licença médica que o afastou por quase duas semanas, em consequência de problemas coronarianos. Eles o levaram à sala de cirurgia em Blumenau, mal que ainda pode fazê-lo voltar lá ao Hospital para completar o tratamento.


Amauri é o autor da Moção de repúdio e que também pede ao governo de Kleber Edson Wan Dall, MDB, e Marcelo de Souza Brick, PSD, a quem lhe empresta apoio na Câmara, o afastamento do secretário de Educação, um curioso no assunto, o jornalista de Blumenau, Emerson Antunes, indicado pelo deputado Ismael dos Santos, PSD, para ocupar a vaga que era do PSD de Gaspar.


Foi depois que o vereador Francisco Hostins Júnior, MDB, manobrou nos bastidores, sem o conhecimento do autor da Moção, fez um ofício com assinatura de dez vereadores da Bancada do Amém, para adiar a votação desta Moção que todo o mal estar se desencadeou. A votação será na sessão do dia 17.


Mesmo pressionado pelo governo Kleber e pelo próprio diretório do partido, o PDT, Amauri um funcionário público municipal de carreira e ex-aluno no Colégio Honório Miranda, pivô de toda esta polêmica, já adiantou que não vai retirar a Moção que fez.


Para o vereador, quem é contra a proposta dele e a favor da discriminação e humilhação proferidas pelo secretário, deve rejeitá-la. No governo, ainda se tenta alternativas para que não haja esse confronto e exposição que desgastou muito à base do governo de Kleber e Marcelo. Mas, está difícil. Retirar o secretário neste momento, é algo impensável para Kleber e o deputado Ismael.


Então deve prevalecer a marca do governo Kleber com empreguismo e a politicalha, num ambiente extremamente técnico, o qual já estava altamente comprometido com a pandemia, como mostrou o Ideb de 2017, da então secretária de Educação de Kleber, e hoje vereadora do MDB, Zilma Mônica Sansão Benevenutti. Acorda, Gaspar!