Buscar
  • Herculano

FOI DIFÍCIL RESPONDER. AGORA, CASTIGO PODERÁ VIR A GALOPE

O Tribunal de Contas da União apontou que 101 servidores da prefeitura de Gaspar - ou ligados à fundação e autarquia - bem como da Câmara Municipal, poderiam ter acessado indevidamente, em algum momento, uma ou mais parcelas do "Auxilio Emergencial" do governo Federal no ano passado, criado justamente para a mitigação da perda de empregos, ou na falta deles, em decorrência ou durante a pandemia da Covid-19.


Questionados quando essa notícia veio a público, pois isso ocorreu em todo o Brasil, nem o prefeito Kleber Edson Wan Dall, MDB, nem o ex-presidente da Câmara, Ciro André Quintino, MDB, falaram sobre o rolo. Nem mesmo para negar, confirmar ou necessariamente separar o joio do trigo.


Era um perigo tratar deste assunto. Estava-se em plena campanha eleitoral. Ninguém queira perder votos ou entrar em confronto ético. Murmuravam e os que os cercavam diziam de que se tratava de assunto privado de cada um dos envolvidos. E para esta distância, reforçavam que tudo ainda estava em apuração. Boa saída.


Como era época de campanha eleitoral, a oposição aos poderosos no poder de plantão em Gaspar até ensaiou colocar a luz do sol neste inconveniente.


Contudo, fuçando, ela também viu que gente do seu relacionamento teve a mesma ideia e prática. Então, preferiu não entisicar ninguém e ir atrás de votos. Valeu a máxima: os sujos se identificam quando na mesma lama.


Ora, não se trata de assunto privado e sim de erro e até de caráter. A pessoa está empregada em ambiente público, recebendo dinheiro público dos pesados impostos de todos, inclusive de gente desempregada e ainda mente, dribla as regras claras e acessa dinheiro a que não tem direito? Meu Deus! E seus chefes ficam constrangidos de lhes questionar e se livrar o que mal lhes cerca?


Imagina-se, o que essa gente - que recebeu indevidamente este ajutório - faz nas repartições públicas com a proteção dos políticos que querem se perpetuar no poder e nos privilégios!


O que deveriam Kleber e Ciro, ao menos disfarçarem? "Estamos apurando, e comprovado, internamente, pelo bem do ambiente público, dentro das regras, faremos uma depuração e daremos conta à sociedade que nos sustenta". Mas, nem isso se disfarçaram.


Esses políticos protetores - ou omissos - de gente sem pudor correm riscos. Falta de aviso - ou oportunidade - para eles se livrarem de tais "amigos", não foi. E se não se cuidarem, o castigo pode vir - solidariamente - a cavalo, como se dizia antigamente. Acorda, Gaspar!