Buscar
  • Herculano

EXTERMINADORES DE VIDAS. ESTAMOS A CAMINHO DAS 300 MIL



O deputado Federal Eduardo Bolsonaro, PSL-SP, acusa o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, PSDB, de exterminador de empregos, por decreto do governo gaúcho ter ampliado o lockdown para áreas não essenciais dos supermercados, conforme texto republicado por Miguel Teixeira VIII, na área de "convidados" deste blog.


Muito bem. O verdadeiro exterminador de milhões de empregos no Brasil - e milhares de vidas - neste momento, é o governo do pai de Eduardo, o presidente Jair Messias Bolsonaro, sem partido, cuja sanidade mental, vejam bem, passou ser tema recorrente no noticiário internacional. Incrível e grave, mas para nós! Somos governados por um insano?


O presidente Bolsonaro acaba de enviar uma custosa missão brasileira de políticos e diplomatas - e não cientistas - a Israel para ver a qualidade de um experimental spray nasal - que o governo de lá não usou na sua população - para tratar ou prevenir a Covi-19.


Israel, a referência de governo de Bolsonaro na ligação que faz com as igrejas evangélicas neo-petencostais - preferiu vacinar em massa - quase todos já o foram - e o quanto antes, para salvar o seu povo e voltar à normalidade.


A vacinação em massa, é agora e por enquanto, cientificamente comprovada, a única garantia de barrar à circulação e contaminação das pessoas pelo coronavírus, normalizando à economia e a relação de empregos dos ainda empregados, bem como à possíbilidade de contratação dos desempregados.


E é neste ponto, que o Brasil patina.


O presidente, seus filhos, seguidores e fanáticos, mesmo morrendo ou com parentes mortos, não acreditam na vacinação, abrem guerra as marcas e fornecedores, desorganizam um sistema que no Brasil já foi referência e a vacinação anda a passo de cágado, com menos de 3% da população brasileira vacinada com a primeira dose (são duas nas marcas que estão sendo aplicadas entre nós).


Enquanto isso, pessoas morrem em filas pela falta de simples oxigênio, de leitos de UTIs, dentro de enfermarias mal assistidas tecnicamente. E os políticos brigando - do lado de fora e nas mídias sociais e tradicionais - entre eles. Vergonha. Vergonha. Vergonha.


Estamos num ambiente intoxicado ideológica e partidariamente, ao invés do melhor debate para salvar vidas, a economia. Deputados e Senadores têm culpa substancial nisso tudo.


Os bolsonaros sabem o bem que a vacinação faria para a economia e a a vida das pessoas.


Entretanto, querem as pessoas expostas à morte e à miséria, decorrente dos lockdowns, feitos, unicamente, para se ter menos doentes e que quando doentes, eles possam ter leitos de enfermarias e UTIs para serem recebidos e tratados, humanamente, onde os profissionais já trabalham na linha da desumanidade, quando não adoecem e morrem. Em Gaspar já foram duas em praticamente uma semana. Um horror!


Sem vacinação, sem máscara facial, sem distanciamento social, sem higienização das mãos, tudo entra em colapso, inclusive a vida emocional das pessoas expostas obrigadas ao sustento mínimo de suas famílias, bem como os profissionais que estão na linha de frente para o atendimento e cuidado dos doentes.


Eles - os trabalhadores e os profissionais de saúde - estão com medo de morrer por falta de socorro e vacinação. E não são maricas. Eles sabem de que não se trata de uma gripezinha que vai logo passar. Ninguém está fazendo mimimi. Wake up, Brasil!