Buscar
  • Herculano

DIONÍSIO ATIÇA À TRANSPARÊNCIA TRANSLÚCIDA E DE COMPADRIO DO GOVERNO KLEBER


Um requerimento do vereador oposicionista na Câmara de Gaspar, Dionísio Luiz Bertoldi, PT, mostra bem como funciona à proteção ao erro dos seus - ou dos que lhe dão sustentação política - no governo de Kleber Edson Wan Dall, MDB.


O que Dionísio pediu no requerimento?


Informações e cópias de documentos comprobatórios para aquilo que se decidiu no plenário do Tribunal de Contas, no longínquo 27 maio do ano passado sobre a culpa do então secretário da Agricultura e Aquicultura, André Pasqual Waltrick, hoje suplente de vereador pelo PP. Ele está de volta à função comissionada como secretário na mesma secretaria, como se nada tivesse acontecido.


É que o TCE conheceu os fatos denunciados por Dionísio e relacionados à execução de uma obra em propriedade particular com utilização de equipamentos e maquinários públicos no dia 13 de abril de 019, nas terras de José Altair Zimmermann (REP 19/00708547), localizada na Rua Adolfo Bonifácio Zimmermann, bairro Gasparinho.


O que Dionísio quer saber de Kleber?


Se a prefeitura instaurou processo administrativo ou sindicância para apurar os fatos, quantificar o prejuízo causado ao erário e responsabilizar o agente público responsável; se instaurou processo administrativo disciplinar para apurar violações de deveres funcionais e proibições previstas na Lei Municipal nº 1.305/1991, por parte do agente público identificado como responsável pelos fatos; e se buscou o ressarcimento do prejuízo causado ao erário, por meios administrativos e/ou judiciais.


A representação citada por Dionísio e que sustenta o seu requerimento foi acolhida parcialmente pelo Tribunal de Contas e determinou à Diretoria de Gestão de Contas a adoção de todas as providências, inclusive auditoria, inspeção e diligências que se fizessem necessárias perante a prefeitura objetivando à apuração do fato apontado como irregular.


Até agora, segundo o vereador, nada. E ele apenas quer confirmar isso no seu requerimento.


O que chama atenção nisso tudo são dois pontos quando se deu esta irregularidade: o tempo pré-eleitoral e à condição de pré-candidato do ex-secretário e que voltou ao cargo após a reinstalação de Kleber com a vitória em 15 de novembro do ano passado.


Para Dionísio, está claro que além de fazer o que não podia, com dinheiro público, o o ex e atual secretário se beneficiou político e eleitoralmente, numa afronta e concorrência desleal. E tudo ficou como se nada tivesse acontecido. Acorda, Gaspar!