Buscar
  • Herculano

DE ALMA LAVADA. PASSARELA DO ALVORADA SERÁ TERMINADA POR OUTRA EMPRESA. E OS CUSTOS PARA O POVO


Quando mostrei aqui que a passarela da ponte sobre ribeirão Gasparinho nas confluências das ruas Itajaí, Coronel Aristiliano Ramos e Industrial José Beduschi, tinha sido desmanchada depois de quase pronta, a equipe do prefeito Kleber Edson Wan Dall, MDB, do poder de plantão em Gaspar, dos seus "çabios", dos adoradores - muitos deles pendurados na máquina de empreguismo político - e de protetores, praguejaram mais uma vez contra o blog. Normal. Preocupante será quando elogiarem!


Estava na cara de todos o problema. Ele, por sua vez, acaba causando outro: o perigo paa a travessia de pedestres, o incômodo e os sucessivos engarrafamentos de de veículos naquela região e que gera impaciência para alguns.


Estava gravado na câmera de vigilância da cidade. Só não enxergou direito o problema da passarela, o ex-vice-prefeito e hoje secretário de Obras e Serviços Urbanos, o agente de trânsito, Luiz Carlos Spengler Filho, PP (foto acima).


Ele dias antes da minha obervação, esteve lá, "inspecionando" a passarela. Mais do que isso. Para mostrar serviço, publicou a foto de tal ato nas redes sociais e prenunciou à liberação dela para dali a poucos dias, pois as obras estariam todas adequadas na qualidade e no tempo de execução.


Não aconteceu. E nem poderia. Agora, sem ficar vermelha, a prefeitura, oficialmente, anunciou o seguinte.


"O contrato foi rescindido com base em laudos de vistoria/fiscalização do engenheiro responsável da Prefeitura. Dentre as irregularidades, foi constatada: falta de pintura de fundo; falha na galvanização; peças oxidadas poucos dias após a montagem; falha na pintura; espaçamento das vigas em desconformidade com o projeto; espaçamento do guarda corpo em desconformidade com projeto; falta de vedação; oxidação da longarina; medição de camadas fora do previsto na planilha orçamentária; entre outros".


Meu Deus! E eu é quem com este blog era o problema? Ou fui eu, um dos pouquíssimos na imprensa que salvamos os gasparenses de mais um desastre construtivo à vista de todos, obrigando a prefeitura e seus "çabios" remediarem para não se complicarem mais do que já estão com o anúncio que fazem? Estou, mais uma vez, de alma lavada.


A prefeitura de Gaspar já tinha uma amostra deste desastre quando a mesma empresa fez sobre o mesmo ribeirão, as passarelas da ponte da Rua José Industrial Beduschi. Era tempo de eleições e eu alertei para a má qualidade do produto disponibilizado ao público. Como era época de eleições, passaram uma pintura "especial" para esconder o que estava FORA dos padrões contratados.


Espera-se agora, por outro lado, que as passarelas da ponte sobre o Ribeirão Gaspar Grande, nas ligações das ruas Coronel Aristiliano Ramos e Nereu Ramos, pelo aprendizado e o olho dos fiscais pagadores de pesados impostos, já nasça sem os vícios que contaminaram as das duas pontes do Ribeirão Gasparinho. Acorda, Gaspar!