Buscar
  • Herculano

"CONTRATO DE GOVERNABILIDADE"



Os leitores e leitoras deste blog já sabiam que as nomeações de comissionados na nova divisão de poder em Gaspar estavam represadas no Diário Oficial dos Municípios - aquele que se esconde na internet e não tem horário para ser disponibilizado.


Entre os servidores efetivos e entre os que participaram da campanha já eram, ou são conhecidas as caras. bem como a repartição desse caro bolo. Os nomes estavam e estão circulando à vontade pela cidade, gabinetes e muitos mesmo não sendo formalmente nomeados, já até se apresentaram em locais do futuro trabalho, ou responsabilidade.


Quase todos, sem qualificação técnica alguma para os cargos ou funções que receberam. Estão valendo os votos do partido, a importância do padrinho político ou patrocinador, identificação religiosa, bem como, em alguns casos, a quantidade de votos recebida pelo nomeado quando candidato a vereador em novembro passado. Nem mais, nem menos.


Os leitores e leitoras do blog sabiam que este represamento se dava em função do polêmico Projeto de Lei 01/2021. Ele foi votado extraordinariamente, como um foguete fosse, e sem qualquer planilha de impacto ou freios na Câmara. Ele extinguiu 400 cargos efetivos.


Este era o teste de fidelidade da poderosa coligação, enquanto os principais articuladores dela e beneficiário deste plano de redução, "fugiam" para Brasília, para evitar qualquer tipo de desgaste.


Bingo. A aprovação do PL pela "Bancada do Amém" na quinta-feira passada foi o sinal do tal "contrato de governabilidade" entre MDB, PSD, PP, PDT e PSDB. O vereador Amauri Bornhausen, PDT, até ciscou, ficou doente e recolheu o cisco.


Com tudo sacramentado, a edição desta segunda-feira do Diário Oficial começou a "descarregar" os remanejamentos e nomeações do "novo" governo de Kleber Edson Wan Dall, MDB. Voltarei ao tema contando os detalhes. Acorda, Gaspar!