Buscar
  • Herculano

COMEÇOU A CAMPANHA ELEITORAL DE 2022. KLEBER "DESCOBRIU" QUE FALTAM DE ÁREAS DE LAZER EM GASPAR


Da esquerda para a direita: no mesmo terreno vereadores do Bela Vista discutem a nova praça e excluem os contribuintes dos recursos dela (deputado Ivan Naatz e vereador Alexsandro, ambos do PL) e o mirante sendo "testado" com água, depois da sua primeira laje colapsar


Depois de abandonar a quase central Arena Multiuso Prefeito Francisco Hostins, na Margem Esquerda; depois de não implantar o parque de lazer no Sete de Setembro, nem ainda a marina para os riquinhos debaixo da Ponte do Vale, isto sem falar do Mirante da Aristiliano Ramos que quase foi barranca abaixo para o Rio Itajaí Açú muito recentemente, o prefeito Kleber Edson Wan Dall, MDB, anunciou o "maior programa de infraestrutura da história de Gaspar para áreas de lazer".


Quem foi levar a boa nova à Câmara, mas principalmente para a proposta receber elogios entre eles mesmos na Bancada do Amém (MDB, PSD, PP, PDT e PSDB) que já conheciam tal "maior programa"? O presidente da Fundação Municipal de Esportes e Lazer, Roni Jean Muller, MDB.


Um detalhe: tudo foi montado na área de projetos da poderosa secretaria de Fazenda e Gestão Administrativa, do prefeito de fato Carlos Roberto Pereira, e presidente do MDB gasparense. Desta vez, a secretaria de Planejamento Territorial, bem como a secretaria de Obras e Serviços Urbanos, ficaram em segundo plano.


O próprio Roni confessou durante a apresentação que só depois de mais de quatro anos é que o governo Kleber conseguiu reconhecer que a cidade está carente neste essencial quesito. Os leitores e leitoras deste espaço, por exemplo, já sabiam disso há muito tempo. Aliás, um dos vereadores, José Carlos de Carvalho Júnior, MDB, e que já foi presidente da Fundação, presente a sessão, referendou igualmente essa carência.


Mais do que isso. A prefeitura e Roni descobriram que essas áreas de lazer são importantes para as saúde das pessoas. Roni por exemplo, leu isso muito recentemente numa reportagem do G1. Interessante!


Serão 30 áreas, mas só 29 estão mapeadas, fato que por si só mostra o improviso eleitoreiro e marqueteiro dessas ações, para tornar tudo o maior, impactante, criar-se factoides, criar entrevistas sem perguntas, gerar manchetes e ao mesmo tempo, tampar os problemas da cidade. Só de mobiliário vai ser gasto R$ 1 milhão a cada ano. O projeto é para seis anos, ou seja, para além do atual mandato de Kleber que vai se encerrar em menos de quatro anos.


O "maior programa" foi comparado na fala de Roni ao "Avança Gaspar", ao "Mais Saúde" e ao próprio programas do Gecom e que o próprio Roni gerenciou no primeiro mandato de Kleber.


Se a comparação for válida, sabe-se que é apenas marquetagem, para esconder problemas e aliviar com discursos e muita propaganda, as reclamações detectadas em pesquisas pré-eleitorais.


E isso parece ser um forte indicativo desta ação. Um dos exemplos veio antes mesmo do projeto ter sido lançado oficialmente com indevida apropriação de verbas de um suposto adversário. E ele foi o centro de um quiprocó político no bairro Bela Vista e mostrado aqui.


Alí, dois vereadores da Bancada do Amém - Giovâno Borges, PSD e Cleverson Ferreira dos Santos, PP- se reuniram para a foto da propaganda e marquetagem com o próprio Roni e o prefeito Kleber e seu vice Marcelo de Souza Brick, PSD, excluindo o outro vereador do bairro, Alexsandro Burnier, PL, por suposta oposição, mas que mesmo sendo rotulado assim, está, vejam só, contribuindo com R$300 mil, via emenda parlamentar do deputado Ivan Naatz, PL, para esta área de lazer mapeada entre as 29 já escolhidas do tal "maior programa de infraestrutura para área de lazer em Gaspar".


Para encerrar. Nem Roni, nem o presidente da Câmara, Francisco Solano Anhaia, MDB, o qual concedeu o espaço na Tribuna Livre para Roni fazer a exposição, nem ninguém, falou sobre a extinção de uma outra área tradicional e importante de lazer em Gaspar, a sede física do Ferroviário, na Margem Esquerda. Acorda, Gaspar!