Buscar
  • Herculano

COM A CIDADE CHEIA DE PROBLEMAS, PREFEITO VAI A OUTROS MUNICÍPIOS EM CAMPANHA ELEITORAL ANTECIPADA


Da esquerda para à direita, pastor Volmir, Rodrigues, Kleber e Cleverson em Chapecó


No dia 12 de janeiro este blog fez a seguinte manchete: PREFEITO LEVANTOU CEDO, MAS NÃO FOI VER A "ZONA" QUE SUA SECRETÁRIA DA SAÚDE TRANSFORMOU A VACINAÇÃO. O prefeito havia sumido. Na sexta-feira passada quem procurou Kleber Edson Wan Dall, MDB, em Gaspar, não o encontrou. Estava no Oeste com uma comitiva de religiosos e em campanha, a qual oficialmente nem começou.


Está tudo registrado nas redes sociais. Não se trata se isto é proibido, ou não. Trata-se de desvio de foco para o qual Kleber foi eleito e investido para um segundo mandato com amplos acordos e aliança partidária que inclui o PSD, PP, PDT e PSDB. Trata-se de prioridade. Trata-se, no mínimo de uma imoralidade de um político que se elegeu para uma coisa e já está abandonado o mandato conferido por seus eleitores nas urnas de novembro de 2020 para ficar no cargo até 2024.


Coincidentemente, quem estava lá naquela região distribuindo ou prestando contas de verbas do governo do estado a que os deputados estaduais têm direito nas tais emendas parlamentares e palestrando nos templos, louvando a sua conquista, misturando política com bíblia? O deputado Ismael dos Santos, PSD, de Blumenau, o novo prefeito de fato de Gaspar e par de Kleber na candidatura de Ismael a deputado Federal pela igreja Assembleia de Deus. Também está tudo registrado nas redes sociais em centenas de fotos das dezenas de encontros da semana passada e deste final de semana.


Perderam o medo e desafiam o bom senso. É um jogo bruto pelo poder político com o uso da palavra de Deus.


A foto acima mostra o Kleber, acompanhado do vereador de Gaspar, Cleverson Ferreira dos Santos, PP, ativo membro do templo em Gaspar, ambos acompanhados do chefe da Igreja, o pastor Volmir Lalana. Foram "visitar" o prefeito de Chapecó, João Rodrigues, PSD, lá no Oeste. O que se tratou em benefício de Gaspar e a razão pela qual se criou esta comitiva, nada se falou.


Para encerrar. Esta foto, mais que outras, mais que meus escritos, esclarece bem tudo o que se passa por aqui e ao mesmo tempo lava a minha alma.


Ela também mostra que ao invés de Kleber estar em Gaspar resolvendo os graves problemas da cidade, ou abrindo portas para soluções e desenvolvimento local, está em campanha eleitoral antecipada.


Mais, do que isso, ela prova de que Kleber não é exatamente um candidato do MDB, ou de Gaspar, ou dos gasparenses, ou da região do Vale do Itajaí em transição para o Vale Europeu como discursa por ai. É um candidato de uma única denominação evangélica neopetencostal, a Assembleia de Deus.


É para ela que Kleber deverá priorizar os seus interesses, se eleito, no Palácio Barriga-Verde. É isto que seus adversários têm dito claramente aos eleitores e eleitoras, como o deputado Ivan Naatz, PL, que com uma planilha na mão, mostra como o deputado Ismael tem distribuído as verbas dele pelo estado. Acorda, Gaspar!


TRAPICHE


No sábado, o prefeito Kleber Edson Wan Dall, MDB, estava em Gaspar. E ao meio dia, reuniu-se com a "família 15", na Sociedade Alvorada. foi um encontro laico. Nem todos estavam lá.


Hoje, na mesma batida de campanha antecipada e aberta ao público - onde os comissionados, os em cargos de confiança e os terceirizados farão número para as fotos e o ponto -, haverá na mesma Sociedade Alvorada um comício. É para a apresentação dos próximo passos do projeto "Avança, Gaspar". Desta vez prometem pensar nas pessoas. Hum!


Mas, perguntar não ofende. Kleber está há cinco anos no poder. Quando fez campanha para a reeleição disse que a sua eleição era necessária para a continuidade do tal "Avança, Gaspar", o que avançará além daquele trechinho dois do Anel de Contorno, em pista simples, estreita, que está com defeitos e custo caro? Vai lançar algo que já se conhecia há anos com quase R$67 milhões que tomou emprestado há poucos dias?


E quem vai executar, se executar o que se anunciará hoje, é o vice Marcelo de Souza Brick, PSD. Ou é a senha de que Marcelo não terá autonomia no governo que herdará de Kleber e do MDB, que será um pau mandado do grupo que está no poder e nele quer se perpetuar, mesmo trocando nomes e peças? Marcelo já deve submissão ao deputado Ismael dos Santos, PSD, para quem teve ceder a secretaria de Educação e que era do PSD de Gaspar.


O senador Dário Berger, um dos pré-candidatos a governador pelo partido, e que viu que não daria samba, fez uma carta no sábado - dia das prévias e que não aconteceu - se despedindo do MDB. Saiu atirando contra o presidente da sigla, Celso Maldaner. A verdade seja dita: Dário nunca foi MDB. O destino dele deverá ser o PSB.


A saída Dário Berger do MDB, deixou viúva mais uma vez a cúpula do MDB de Gaspar. Ela apostava na pré-candidatura de Dário. Esta é a sina do MDB de Gaspar. Ele com leituras equivocadas, ou apressadas, ou emocionais, sempre fica na contramão estadual do partido. É um fato reiterado.


Agora, agarrou-se ao que não queria - e sobrou -, Antídio Aleixo Lunelli, prefeito de Jaraguá do Sul. E mesmo assim, Antídio corre um sério risco de ficar na estrada diante do que o MDB armou e ainda arma contra Antídio. E ele sabe muito bem disso. Um vídeo que Antídio fez divulgar no sábado, ele prega a concórdia para transformar Santa Catarina numa "suíça brasileira".


Antídio, todavia, escorrega e mostra que está magoado. E erra o alvo dos recados, para dar a "segunda chance" exatamente aos políticos que estão lhe traindo. Impressionante.


Entre os "agradecimentos" que fez está à imprensa, está uma suposta boa imprensa. Ressalta ele, é a que leva a verdade, ou seja, a que lhe agrada. O que Antídio chama de boa imprensa? A que esconde que ele teve um problema pessoal e de cunho sexual no passado. Isto foi remexido não exatamente pela imprensa, mas pelo fogo amigo que a alimentou, diga-se, desde logo, que entregou o assunto de bandeja. Uns usaram. Outros não.


E isso ocorreu na disputa interna das prévias do MDB. Foi feito para desqualificá-lo, num jogo em que nitidamente Antídio se sobressaía sobre os outros dois pré-candidatos - Celso Maldaner e Dário Berger - bem como na trama dos deputados da Assembleia - que chegaram a criar o pré candidato Valdir Colbachini -, dispostos a estruturar vantagens concorrenciais para o governador, Carlos Moisés da Silva, sem partido.


O problema não é da imprensa, é do candidato. E ele terá que lidar com este delicado assunto de forma frontal e inteligente, como se fosse uma crise e não transferir culpas que são só dele. Ou Antídio, é adepto de que se o crime ocorreu não vale mais a pena punir o autor, como advogam os caros defensores de Luiz Inácio Lula da Silva, PT?


Antídio, reconhecidamente um empresário e prefeito bem sucedido, sabe que este é o seu principal obstáculo. Ele terá que supera-lo na exposição do vale-tudo eleitoral durante a campanha. Antídio também sabe que o problema não está na imprensa, como ele equivocadamente - e sua assessoria, se a tem - quer fazer crer, mas nas verdades e baixarias dos adversários. Aliás, Antídio devia ter umas aulinhas com o prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro, União Brasil, que tirou isso de letra quando este tipo de assunto apareceu contra ele.


Um exemplo que não sensibiliza Gaspar. O prefeito de Brusque. Ari Vequi, MDB acaba de anunciar que quarta-feira lança a revisão do Plano Diretor de lá, com a participação da sociedade organizada.


Aqui em Gaspar, estamos atrasados há oito anos neste assunto. Pior, estamos reféns das canetadas de gente que beneficia amigos do poder e prejudica, nitidamente, adversários ou simplesmente, críticos desse mesmo poder. E a maior parte referendada pela Câmara que já fez isso ao arrepio da Constituição. Isso ainda vai custar caro para a sociedade e não vai acabar bem para os "çábios".


Bolsonaristas não convidam, convocam. Já convocaram para o dia três de março, um sábado, um grande encontro do PL no Espaço Bunge Natureza, no Poço Grande. Prometem a presença da vice-governadora Daniela Cristina Reinehr, PL. O almoço por adesão custará R$22,00 e já está aberto.


Aviso. Este blog não é patrocinado com verbas públicas, ou privadas de qualquer espécie, não recebe qualquer migalhas, não aluga o espaço e a opinião, não impulsiona o conteúdo, não agrada e desagrada intencionalmente ninguém e não vive de likes.


REGISTRO I


Quem esteve na sexta-feira em Gaspar, foi o gasparense CEO Global da Taurus, Salésio Nuhs (o quarto da esquerda para a direita). Ele veio inaugurar oficialmente a área de armas da Trinca Ferro (Agropecuária), da família Strapasson. E aproveitou para jantar com amigos locais no sítio de Flávio Soares.



REGISTRO II


O ex-prefeito de Gaspar entre 2005/08, Adilson Luiz Schmitt, eleito pelo MDB e hoje sem partido, como poucos que conheço, sem mandato, continua um bicho político implacável, abrindo portas e criando acessos aos gasparenses em Florianópolis, onde trabalhou no governo do estado no passado.


Na semana passada, Adilson fez a ponte para os dirigentes do Clube de Aeromodelismo Asas do Vale de Gaspar na Santur (na foto com a presidente) e na Fesporte. É que entre os dias 21 e 24 de abril acontece aqui o maior e tradicional encontro nacional de aeromodelismo, na sede própria do Clube no bairro Poço Grande. E dizer que tudo começou como um evento privado do finado Paraíso dos Pôneis, no Bela Vista.


Adilson não perdeu tempo em Florianópolis, esticou os contatos e aproveitou a viagem para falar com políticos na Assembleia Legislativa como o presidente Moacir Sopelsa, MDB (em pé), e o vice, Maurício Eskudelark, PL (sentado).