Buscar
  • Herculano

CÂMARA REPASSA R$ 600 MIL PARA PREFEITURA E SE LIVRA DA OBRIGAÇÃO DE CONSTRUIR A SUA SEDE PRÓPRIA


Da esquerda para direita: o terreno doado para a construção do prédio próprio da Câmara, o atual presidente do Legislativo e o ex que criou o fundo que dele a prefeitura já recebeu mais de R$4 milhões.


Atualizado às 17h15mim desta segunda-feira. Encerrado mais um capítulo da fingida novela de construção da sede própria da Câmara Municipal de Gaspar. Ela vai ficar onde está, garantindo cerca de R$90 mil por ano a Paca Empreendimentos Imobiliários, afora o desconforto aos que vão ou trabalham lá, além das muitas despesas e investimentos todos os anos para deixá-la minimamente ambientada e assim servir aos vereadores e funcionários da Casa Legislativa. (veja a correção ao fim do artigo)


E por lei, o terreno "doado" pela municipalidade para a construção da sede própria, como nada foi feito lá até agora, já deveria ter sido devolvido para o município para que ele desse melhor destino aos gasparenses em área nobre e praticamente central.


O PL 35/2021 de autoria da mesa diretora da Câmara, relatado pelo Alexsandro Burnier, PL, dizia que a devolução dos R$600 mil que estavam rubricados para o fundo de construção do prédio da Câmara, eram para atender à Saúde diante das novas exigências criadas pela Covid-19. Não era!


Questionado a explicar melhor esta situação, contrariado devido ao questionamento de um novato, o presidente da Casa, Francisco Solano Anhaia, MDB, sem alternativas, esclareceu dois pontos: primeiro de que a Câmara não pode meter o bico na utilização do dinheiro quando ela devolve parte do duodécimo seu ao Orçamento do município, e segundo, que o prefeito Kleber Edson Wan Dall, MDB, resolveu usar esse dinheiro em obras pela cidade, sem, todavia, ou por cortesia, especificar em quais.


Balelas. Esse dinheiro foi repassado porque enquanto o MDB for maioria ou dominante na Câmara de Gaspar, nada mudará e a sede provisória e alugada ficará lá onde está. Simples assim! E por motivos óbvios que toda a cidade sabe, mas ao mesmo tempo possui medo, ou fica-se constrangido em explicar o que está explícito há anos.


Ora, se a razão fosse mesmo por economia para os pagadores de pesados impostos da cidade, a primeira coisa que os vereadores teriam que fazer é cortar os próprios salários e diminuir a estrutura de suporte deles. O resto é discurso para analfabetos, ignorantes, desinformados, gente comprometida com o poder, além do exercício de hipocrisia.


O único que tentou peitar esta situação e que casualmente criou o fundo que já devolveu mais de R$ 4 milhões a prefeitura de Gaspar, o ex-vereador e presidente da Casa, o médico e funcionário público de Gaspar, Silvio Cleffi, ex-PSC e hoje no PP, o esquema tratou de alijá-lo da política. Nem mais, nem menos. Acorda, Gaspar!


CORREÇÃO. Afirmei acima que o aluguel seria de R$90 mil por um ano. Errado. O portal transparência da Câmara, maroto, não é capaz de publicar a obrigação anual desta rubrica e induz a erro. Normal, em se tratando de ambiente público.


O aluguel é de R$18.228,00 por mês. E se não houver nenhum reajuste, a soma mínima deste ano, por exemplo, seria de R$218.736,00. Adiciona-se a esse montante ainda, o condômino pago ao senhorio dono do imóvel . Ele gira em torno de R$60 mil por ano, com uma média de R$5 mil por mês.


Aos leitores e leitoras as minhas desculpas pelo erro. Aos leitores e leitoras fiéis, que me socorreram em mais este esclarecimento para a cidade, o meu agradecimento.