Buscar
  • Herculano

A MULTA DA COVID EM GASPAR. ERA PRECISO? MISERAVELMENTE, SIM!

Atualizado: 14 de mar. de 2021

Costumamos correr em círculo atrás do nosso próprio rabo, como naquela fábula do cachorro louco. E fazemos isso, por razões diferentes. Depende da ocasião.



Na sessão Ordinária da Câmara de vereadores na terça-feira passada dava entrada um Projeto de Lei, e para não ser diferente do vício da atual administração, ele veio marcado em Regime de Urgência, e desta vez com sessão extraordinária pedida para a quinta-feira


Ele instituiu as multas - entre pouco mais de R$600 a pouco mais de R$ 1,2 mil - aos que transgredissem (pessoas e empresas) às leis sanitárias em vigor em Gaspar e vejam só, leis feitas para minimamente proteger as pessoas do contágio da Covid-19 e que nos pode levar até à morte.

Essa Lei do prefeito Kleber Edson Wan Dall, MDB, e de outros governos municipais e estaduais, é decorrente da ausência do governo de Jair Messias Bolsonaro, sem partido, negacionista, que por causa disso, foi propositadamente incompetente, até aqui, na compra e distribuição vacinas para a nossa proteção.


Como consequência, os sistemas de saúde entraram em colapso e estão entupidos nas enfermarias e UTIs de gente doente, morrendo como nos hospitais daqui e da região.

O PL foi aprovado à toque de caixa na quinta-feira extraordinariamente com o voto contrário do vereador Dionísio Luiz Bertoldi, PT. Reportei no blog. Já é Lei e está em vigor. Duro acreditar que será para valer, em se tratando de Gaspar e governo Kleber

Dois comentários chamaram à atenção naquela sessão sobre este assunto.


Um deles, foi do líder do governo, José Hilário Melato, PP, defendendo ideia. O outro foi do próprio Dionísio, contrariado à penalização pecuniária. "Será que aplicar a multa vai resolver?”, perguntou ele, para em seguida respondê-la com outra pergunta: “não seria melhor conscientizar?”.


Vereador: conscientizar? Do que mesmo? Menos, né!


Será que ninguém está ouvindo rádio, vendo tevê, lendo jornais, portais, redes sociais, aplicativos de mensagens e sabendo pela tal "boca pequena", de que estão morrendo milhares de pessoas por Covid-19 por dia, repito, por dia, no Brasil, das quais, quase 100 já se foram por aqui desde março do ano passado?


Ninguém desses que desafiam permanentemente o simples uso da máscara facial, inclusive na própria Câmara e pode ser visto nas gravações, sabem que não há mais leitos de UTIs nos hospitais daqui e da região?


Está mais do que na hora de parar com discursos do tipo do cachorro que corre atrás do próprio rabo para apenas se safar no seu próprio interesse (Dionísio tem um restaurante e eticamente o seu discurso está comprometido), ou para o seu mundinho do faz de conta dos políticos como o de Melato e Kleber.


Essas pessoas sujeitas às multas se elas se infectassem e pagassem elas próprias com o sofrimento e as vidas delas pelo desprezo que possuem pela dos outros, até seria aceitável.


O pior de tudo, é que elas estão com os atos irresponsáveis delas, levando o sofrimento e a morte a outras pessoas, inclusive às que elas próprias dizem quererem bem. Meu Deus!


O ato irresponsável é continuado, intencional e egoísta. Antes da morte ele ainda tem um custo financeiro alto para os combalidos e roubados cofres públicos, antes eles geram uma sobrecarga descomunal física e emocional nas equipes de saúde, abalam famílias.


Chega de discurso hipócrita.


Todos sabem o que fazem. E se não fazem, não são multados. É por causa dessa gente que o comércio, a economia e os empregos estão se perdendo. Outro crime de gente irresponsável que Dionísio insinua proteger ou quer passar a mão na cabeça. Essa gente não tem consciência. Está provado.


E a mesma observação serve para Melato, agora defensor de carteirinha de Kleber.


Choroso, e cumprindo o papel de líder do governo, afirmou o prefeito Kleber fez de tudo para não se chegar a esta situação. As estatísticas o desmente. Os múltiplos relatos das redes sociais, igualmente. Faltou fiscalização. Faltou ação preventiva. O político não quis se indispor com os seus eleitores, mesmo que eles estivesse expostos ao sofrimento e à morte.


Tanto não fez "de tudo", que os números da Covid-19 entre nós são alarmantes, dados foram sonegados, viu-se correligionários promovendo bailões pelas redes sociais sem qualquer qualquer punição; isso sem falar em evento público que tinha o patrocínio da própria prefeitura em pleno aumento da crise sanitária. Todos os relatados neste blog.


A verdade é que Kleber não teve alternativas.


Sob pressão do Ministério Público, como presidente da AMMVI, diante da dura realidade de rebeldia dos contumazes, Kleber não pode escapar - ao menos formalmente - de criar um mecanismo de coação e punição, aos que aqui estão acostumados a não dar bola para a Lei, pois todos têm, alegam ou apelam, para padrinhos políticos poderosos no poder de plantão e nas instituições obrigadas pelo zelo das normas. Simples, assim!


Nem Dionísio por uma versão patética que quis dar ao caso, nem Melato no papel do governo-vítima dando explicações aos seus eleitores, estão com a razão naquilo que justificam para aplicar ou não as multas aos que não cumprem as medidas mínimas de proteção sanitária, ou seja, a vida, em Gaspar.


Para não fechar é preciso respeitar antes regradas sanitárias básicas. Uma parcela ponderável é avessa às regras comuns. Simples assim. Fingem, quando muito. Acorda, Gaspar!