Buscar
  • Herculano

"É BOLSONARO SALVANDO VIDAS"


Quatro dias depois do presidente Jair Messias Bolsonaro (foto), sem partido, ter dito que "estudos" provavam à inutilidade da máscara facial na remediação da propagação da Covid; depois de abundar atitudes e declarações contra a vacinação, que no Brasil anda a passo de cágado; no dia em que batemos o recorde da média móvel de mortes diárias e rumo as 260 mil vidas perdidas; no dia em que a Organização Mundial da Saúde, diz com todas as letras e definitivamente de que a hidroxicloroquina - o remédio recomendado por Bolsonaro - sequer espanta a Covid-19 entre os infectados, em qualquer grau e doentes, o bolsonarista gasparense Márcio Cézar, um químico, replica nas suas redes sociais, a informação que o governo Federal, finalmente, concordou com a compra de 140 milhões de doses de vacinas para serem distribuídas em março, abril e maio ao que já estão compradas na Astrazeneca e na Sinovac.


Excelente iniciativa do bolsonarista Márcio Cézar na contramão do seu ídolo, mas se ela não fosse acompanhada de mais uma mentira deslavada. A afirmação complementar de Márcio Cézar retira à credibilidade do informante e do bolsonarismo: "é Bolsonaro salvando vidas".


Márcio Cézar foi candidato a vereador pelo PL e teve 217 votos. É o organizador, em Gaspar, do partido de Bolsonaro e que não consegue sair do papel e talvez, nem o próprio Bolsonaro assim o queira diante do nulo esforço que faz para isso, o "Aliança pelo Brasil".


A notícia da compra das 140 milhões de doses extras de vacina foi dada pelo presidente da Câmara, Arthur Lira, PP-AL, do Centrão, o novo aliado de Bolsonaro, e decorrente de uma reunião que Lira tivera com Bolsonaro no Palácio da Alvorada, no domingo a noite.


No entanto, até a postagem desta nota, não havia sido confirmada pelo Palácio do Planalto, a informação de Lira que se espalha com a emenda mentirosa "é Bolsonaro salvando vidas".


E Bolsonaro não gosta que outros vazem suas conversas, ainda mais as que não são do seu gosto. Vacinação contra a Covid-19 tem sido um assunto indigesto para ele e para nós ameaçados de morte pela doença, para um país que se paralisa na economia exatamente pela falta da aplicação da vacina.


Lira também não detalhou o cronograma de recebimento desta nova compra, nem disse quais serão os imunizantes. E se o general da ativa, Eduardo Pazuello, continuar com as suas trapalhadas à frente do ministério da Saúde, mesmo que esta informação for verdadeira, pois necessária é e super atrasada está, a taxa de sucesso estará também sensivelmente diminuída por tudo que Pazuello fez até agora a mando, ou com a complacência de Bolsonaro neste assunto. Então...