Buscar
  • Herculano

É ASSUSTADOR III



O Brasil possui dois ministros da Saúde e não tem nenhum, afirmam. Discordo frontalmente. Ele tem só um. Nem o general da ativa e "especialista" em logística, o que mancha a imagem do Exercito brasileiro, Eduardo Pazuello o é, nem o médico cardiologista Marcelo Queiroga, indicado e que ainda não tomou posse também o é ou será um dia.


O verdadeiro e único ministro da Saúde do Brasil é, sempre foi e será é o Capitão Cloroquina, o presidente Jair Messias Bolsonaro, sem partido.


Esclarecido este ponto, vamos ao segundo.


Ambos, Eduardo e Jair, sabem que estão cometendo crimes contra à humanidade, contra os brasileiros. Ou seja, é caso pensado.


Tanto que, Jair que usou Pazuello para suas aventuras contra a ciência, a racionalidade e que nos leva a bater o recorde de 300 mil mortes por Covid entre hoje e manhã, está criando um "ministério" para abrigar e deixar protegido pela imunidade do cargo Pazuello. Dilma Vaana Rousseff, PT também fez isso, para tentar livrar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, PT, dos processos e prisão. Nada como um dia após o outro. E sem nenhuma criatividade.


Esclarecido este segundo ponto, vamos ao terceiro.


Para usar uma palavra comum de Jair quando quer ser afirmativo e "macho", a tal da porra:


Não haverá UTIs suficientes, profissionais especializados suficientes e já todos exaustos física e emocionalmente desgastados, equipamentos e remédios (sedativos, antibióticos, oxigênio etc e tal usados nos procedimentos de intubação) suficientes para tratar os doentes por Covid-19, além do que no outro mundo paralelo dos doentes e hospitais, as pessoas não têm acesso às vagas nas UTIs e enfermarias e por isso se agravam e morrem de câncer, AVCs, infartos, colapso renal, acidentes traumáticos etc.


É difícil de entender isso?


O escasso dinheiro dos pesados impostos dos brasileiros tem que ser investido prioritariamente em vacinas para que ninguém, ou pelo menos só uma minoria, chegue aos hospitais para se tratar da Covid e sem a gravidade letal que ela possui hoje.


Entenderam? É preciso explicar mais? Desenho serve?


Bolsonaro, é o verdadeiro ministro da Saúde, o tempo todo, depois que mandou o médico Luiz Henrique Mandetta, DEM, catar coquinhos.


Essa política que nos leva ao colapso só come montanha de bilhões de Reais e parece talhada para a corrupção e os corruptores de sempre que não se importam com a morte de milhares de vidas. Eles sempre fizeram da área da saúde e da morte o enriquecimento sórdido com dinheiro público, não apenas em Brasília, mas nos municípios e quanto menor, mais sacanagens. Meu Deus!


Esclarecido esse terceiro ponto, vamos ao quarto.


E ele eu o extraí da carta dos empresários que eles mandaram ontem aos congressistas parasitas e ao próprio presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, o nosso verdadeiro ministro da Saúde. Ela é conclusiva quando diz, com números auditados em um dos muitos parágrafos:


Vacinas são relativamente baratas face ao custo que a pandemia impõe à sociedade. Os recursos federais para compra de vacinas somam R$ 22 bilhões, uma pequena fração dos R$ 327 bilhões desembolsados nos programas de auxílio emergencial e manutenção do emprego no ano de 2020.


E tem mais outros números bilionários assustadores, citados na carta e em outros estudos de fontes científicas e econômicas sérias, todos conhecidos do Planalto, de Jair Messias Bolsonaro, dos deputados e senadores nas duas casas congressuais, estudos que se levados a sério, como o são em outros países, poderiam evitar o nosso sofrimento, mortes e empobrecimento.


A vacina é a nossa liberdade de ir e vir, de se empregar, produzir, gerar mais impostos. Qual a razão de nos prender em casa? Quem nega a vacina, verdadeiramente gera o lockdown. E quem faz isso, no fundo é o próprio Bolsonaro. Meu Deus!


Parece que se faz isso de propósito contra a sociedade e todas as classes sociais. É o Brasil tomado por milicianos, de todos os tipos, que nos querem fracos e submissos. Não há ninguém burro nesse jogo de morte e corrupção.


Entenderam? Wake up, Brazil!